Sexta-feira, 17 de Abril de 2009

Para uma Superação dos Media de Massas: Os Media de Rede

“Um dia tudo será apenas informação entre fortalezas e condomínios privados. Hoje, vivemos um tempo fora do tempo e um espaço que tudo envolve: a mensagem são os meios”, afirmou Fernando Ilharco, da Universidade Católica, na abertura da sessão plenária sobre “Sociedade dos Media”, moderada por José Gomes Pinto, da Universidade Lusófona.

 


António Fidalgo, da Universidade da Beira Interior, debateu o tema “Informação no Telemóvel”. Em 2020, assegurou, o telemóvel será o dispositivo primário de acesso à Internet. A utilização da Internet ultrapassará a tiragem da imprensa e as audiências da televisão já no próximo ano.

O processo de diferenciação nos media modernos foi a temática defendida por António Machuco Rosa. Do século XVII ao século XIX, e com o advento da expressão do movimento social na consolidação da posição da imprensa, deu-se uma acentuação desse processo. Nos dias que correm, a emissão e recepção de dados informativos é feita rapidamente através da internet, telemóveis, desaparecendo assim os processos mais tradicionais da informação.

 

Com esta nova atitude dos media participativos, todas as pessoas podem aspirar a uma posição diferenciadora que consiste na comunicação progressiva. Para além da Comunicação em massa, actualmente discutida, assistimos à evolução de uma Comunicação em rede. YouTube, ligações peer-to-peer, iPod, e muitos outros ícones da cultura tecnológica, foram os elementos discutidos por Gustavo Cardoso. O investigador apresentou o seu trabalho de forma extremamente dinâmica e pouco usual, recorrendo a música e efeitos visuais para assim conseguir um impacto que a audiência sentiu claramente.

 

Um dos dados que mais se salientou ao longo da sessão é a constante transformação e adaptação dos novos media, tendo como ponto fundamental a Internet. E neste meio, como noutros, não se pode ignorar a importância da publicidade, a sua capacidade de influenciar atitudes e comportamentos.

 

Uma outra conclusão vinda da pesquisa mais recente foi a de que se deve ultrapassar o conceito de media de massas. Os media actuais funcionam em rede. Interactividade, imagens em movimento, dinâmica e acessibilidade são algumas palavras de ordem destes novos paradigmas comunicacionais.

[AFC e EH]

publicado por sopcom2009 às 22:29
link do post | comentar | favorito

Ficha Técnica



Edição e Coordenação
Carla Rodrigues Cardoso
Daniel dos Santos Cardoso

 


Redacção e Fotografia das temáticas
Ana Filipa Cordeiro
Chrystian Lima
Edi Hernandez
Irina Freitas
Paulo Rosa
Rui Joaquim
Silvana Veiga

 


Coordenação Vídeo
Sara Pina

 


Grafismo
Timóteo Rodrigues

.Pesquisar

 

.Abril 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Posts recentes

. “Não existem opiniões anó...

. Direitos a quem respeita...

. Made in Lusófona

. Ciência Forense ou “Super...

. Para uma Superação dos Me...

. Novas formas de Comunida...

. Compreender a diversidade...

. Dois exemplos do dinamism...

. Perigos da Globalização

. Viagem pelos media e pela...

.Arquivos

. Abril 2009

.Subscrever feeds